APÓS DIA 6 DE JULHO

Governador do Piauí descarta lockdown no estado e projeta liberar atividades

Anúncio foi feito durante entrevista coletiva. Para sexta (26), sábado (27) e domingo (28), Wellington Dias diz que medidas mais rígidas irão valer, assim como no fim de semana passado.

Wellington Dias

Wellington Dias

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), anunciou nesta quinta-feira (25) que não irá decretar o lockdown, o bloqueio total, medida mais rígida que o isolamento social, no estado. O governador mencionou ainda que espera após o dia 6 de julho iniciar a liberação de atividades econômicas, de forma gradual.     

 Confira as principais medidas anunciadas por Wellington Dias: 

  • Nesta sexta-feira (26) e nas próximas quinta-feira e sexta-feira, 2 e 3 de julho, será decretado ponto facultativo nos órgãos públicos estaduais e a mesma recomendação para os 224 municípios.
  • Nesta sexta, sábado e domingo, além da próxima quinta-feira (2), sexta-feira (3), sábado (4) e domingo (5), será mais restrito o funcionamento de serviços essenciais (ainda não foi divulgado datas e horários desses serviços);
  • Quem não usar máscara, pagará multa: decreto será editado e publicado ainda; 
  • Iniciar depois do dia 6 de julho, data de vencimento do decreto de isolamento social, a primeira fase da retomada das atividades, liberando setores da construção civil, automotivo e de serviços médicos;
  • Ter condições de anunciar a cada 15 dias, a partir do dia 6 de julho, outras etapas do plano de retomada, permitindo no mês de agosto chegar à área da educação, da última etapa;
  • 3.200 profissionais das áreas de Segurança (Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária e Polícia Rodoviária Federal (PRF) irão fiscalizar o cumprimento do isolamento. 

O prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), havia manifestado desejo do confinamento mais radical, o lockdown, na capital. Um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) também apontou o bloqueio total como medida para reduzir a taxa de transmissão do coronavírus. Wellington Dias, contudo, não aceitou a recomendação.    

Não há necessidade de lockdown, avalia governador 

Wellington Dias afirmou que vai editar um novo decreto, com validade para sexta (26), sábado (27) e domingo (28), com regras mais rígidas de controle. Para ele, essas medidas têm efeito para reduzir a transmissão do coronavírus, o número de ocupação de leitos de UTI e o número de mortos. E, por isso, não há necessidade de lockdown.    

 “Para o fechamento total, teríamos que optar por uma intervenção com as forças armadas e acho que a democracia não condiz com isso", avaliou Wellington

 "Não é fácil chegar a esse nível de isolamento, mas é possível. Vamos adotar as medidas restritivas e uma operação de Vigilância Sanitária, junto com as áreas de segurança, para que tenhamos em todo o estado as condições de ampliar o isolamento e reduzir a taxa de transmissibilidade”, comentou o governador. 

São medidas mais restritivas que já foram aplicadas em outros fins de semana no estado, que incluem horário mais restrito para funcionamento de serviços essenciais, por exemplo, supermercados; suspende o transporte intermunicipal e proíbe aglomerações em locais públicos e o consumo de bebida alcoólica.  

“Chegamos até aqui em uma situação de controle nas oito regiões do estado, em nenhuma delas entrou em colapso. Pedir o esforço para que possa colaborar, ficar em casa, somente sair em situação extrema”, argumentou Wellington Dias. 

 O Piauí chegou a 17.080 casos confirmados e 546 mortes por Covid-19, segundo o Painel Epidemiológico da Covid-19 no Piauí, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi). A taxa de ocupação nas UTIs é de 73,4% (309 ocupadas e 112 disponíveis).    

 Nesta semana, o governo do estado apresentou uma pesquisa que apontou um aumento de 150% na quantidade de infectados no Piauí pelo novo coronavírus. A estimativa é de mais de 336 mil piauienses com a Covid-19, desses 111 mil estão com potencial de transmitir a doença

Fonte: G1.COM

Dê sua opinião: