Reação

Wellington Dias reage a pronunciamento de Bolsonaro e diz que vai manter medidas.

O governador publicou vídeo nas redes sociais criticando as declarações do presidente sobre a pandemia do coronavírus na noite dessa terça-feira (24). Houve reações em todo o país.

welligton x bolsonaro

welligton x bolsonaro

O governador do estado do Piauí, Wellington Dias (PT), reagiu ao pronunciamento feito pelo presidente Jair Bolsonaro sobre a pandemia do coronavírus, na noite dessa terça-feira (24). Em vídeo publicado nas redes sociais, o governante disse que manterá todas as medidas de prevenção à Covid-19, doença causada pelo vírus, que reconhece que haverá prejuízo, mas que "a vida está em primeiro lugar".

Ainda nas redes sociais, o governador do Piauí comentou: "É difícil não se manifestar frente ao discurso do Presidente da República, que vai contra todas as recomendações da Organização Mundial da Saúde. Nós vamos seguir o que a ciência nos comprova. O Piauí mantém todas as suas medidas de prevenção à Covid-19".

Outros políticos e autoridades reagiram ao pronunciamento em que o presidente pediu a "volta à normalidade", o fim do "confinamento em massa" e disse que os meios de comunicação espalharam "pavor".

Dentre eles, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que divulgou nota na qual classificou a fala de Bolsonaro como "grave" e disse que o país precisa de uma "liderança séria".

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que o pronunciamento "foi equivocado ao atacar a imprensa, os governadores e especialistas em saúde pública".

Confira o discurso na íntegra:

"Eu assisti ao pronunciamento do senhor presidente Jair Bolsonaro. Presidente, esses dias eu tive a felicidade de, pelas graças de Deus, juntamente com a Rejane (primeira-dama), recebemos dois netos, um casal de gêmeos. Artur e Ester. E eu, senhor presidente, não colocaria uma pessoa com essa 'gripezinha', que o senhor fala, para cuidar dos meus dois netos, pelo menos conscientemente.

Eu recomendaria a essa pessoa que ela ficasse no isolamento social, no tratamento adequado recomendado pela ciência. Da mesma forma, eu não faria isso com a Yasmin, o Jairo, a Danielle, que são meus filhos, o Vinícius, que são atletas. Aliás, eu também pratico esporte e a minha esposa. Mas não gostaria de ser contagiado pelo coronavírus. Não sei como meu organismo reagiria. Eu vejo o que acontece com outros países, com pessoas do Brasil e até do meu estado. Pessoas que ficam três quatro semanas em uma UTI.

E vejam, não se faz isso por conta de uma 'gripezinha'. Eu aqui no Piauí tive que adotar medidas duras, medidas como, por exemplo, suspender as cirurgias eletivas, aquelas que estavam já marcadas.

Cirurgias de casos importantes, para que?! Seguindo a orientação do ministro da Saúde, o ministro Mandetta, do seu governo, e corretamente. Para garantir vagas para quem pudesse precisar por conta do coronavírus, mesmo em uma situação ainda de suspeito. Mesmo em uma situação em que o risco fosse menor.

Ter, ali, as condições de UTI, as condições de salas clínicas na rede pública, na rede privada, do estado do Piauí. Senhor presidente, não se faz isso por conta de uma 'gripezinha'. Eu seria egoísta se pensasse só na minha família. Não, eu quero pensar no outro. Eu quero pensar em 3 milhões e 200 mil pessoas que represento no estado do Piauí.

Eu quero pensar como liderança em uma solução para vencermos sim o coronavírus no Brasil, pelo Brasil, e o Brasil contribuir, inclusive, com o mundo. Eu quero, senhor presidente, acreditar em Deus e sei que é pela graça de Deus que nós temos uma situação em que a ciência conhece, conhece sobre o coronavírus, e ao conhecer eu quero seguir a ciência. Eu quero cumprir todo o regramento.

Eu sei que as pessoas nesse momento vão ter prejuízos, prejuízos de bens materiais, prejuízos nos negócios, prejuízo na renda, mas há algo em primeiro lugar agora: a vida. É a vida humana, senhor presidente. Nós estamos tratando da vida humana e no Piauí a vida humana tem valor e nós vamos cuidar da vida humana. Cuidar fazendo, inclusive, isolamento social onde for necessário. Nós vamos seguir com a ciência, vamos seguir com Deus no coração e vamos vencer o coronavírus."

Fonte: g1

Dê sua opinião: